A internet nos propicia estabelecer uma série de relacionamentos. Novas e velhas amizades, contatos de trabalho, parceiros virtuais de jogos etc. São milhares de possibilidades para as relações online. Encontrar velhas amizades me parece o mais legal. Fica a sensação de que estavam todos congelados, ou melhor, perdidos no passado quando, num belo dia, voltam para se re-conhecerem.

As relações na internet, buscando sexo, multiplicam-se. Por uma infinidade de razões, o sexo virtual é muito procurado. As pessoas escolhem o prazer imediato, sem envolvimento real, a qualquer hora e quase nenhum risco. Estão em busca de mentiras sinceras, como dizem Cazuza e Eric Clapton.

Eric Clapton with the Impressions - "Don't Let Me Be Lonely Tonight"
Live at Royal Albert Hall, London February 3rd 2001.

Mas, sexo virtual é fazer sexo? Será que fazer sexo não tem como prerrogativa o contato físico? E, se existe um relacionamento real, pode ser considerado como uma traição?! Algumas pessoas, quando encontram o outro se masturbando, fazem um escândalo! Não entendo, porque isto só pode melhorar o sexo entre elas. Em minha opinião, sexo virtual é: masturbação assistida, fantasias compartilhadas ou, no máximo, um arremedo de sexo tântrico.

O que deve despertar preocupação é o tempo que a pessoa gasta com isto. E, quanto dinheiro está investindo neste prazer. Neste assunto, de gastar tempo e dinheiro com sexo virtual, eu tenho um pouquinho de experiência... Existe o vício que transforma as pessoas em doentes e dependentes. Já vi relatos de gente que perdeu tudo, por causa de sexo virtual. Mas, também existe a brincadeira, o relax, a diversão e, é claro, o prazer. Duas pessoas que se encontram, na internet, podem dizer: - Muito prazer...

Também existem relações virtuais que se transformam em realidade! Mas, deve haver certo cuidado, pois alguns mantêm namoros e até noivados, pela internet. O perigo é se apaixonar por alguém que não existe. Três meninas, que trabalhavam comigo, casaram-se com estrangeiros que conheceram na internet. Claro que, antes disto, passaram para o relacionamento real. Duas delas estão felizes, amando e continuamos mantendo contato. Uma está casada há seis anos e, a outra, casou há dois anos. A terceira só queria o Greencard, por isso não vale maiores comentários.

Enfim, a discussão continua, mas, se for eventual, acho que o sexo virtual pode ser mais um estímulo.

Entretanto, eu prefiro tudo no mundo real!

8 Responses so far.

  1. Du says:

    Eu me apaixonei pela internet e já fiz tudo o que se costuma fazer nestes casos, inclusive sexo que para mim, era só mais uma forma de demonstrar meu amor. Não tive sorte, no final deu tudo errado e eu fiquei tão arrasada que não quero mais brincar disso. Quero cheiro, toque, beijo na boca e tudo o que tenho direito e me faz feliz de verdade. Sexo virtual é ilusão. Gosto de brincar mas não sou brinquedo. Foi a esta conclusão que cheguei quando descobri que o meu amor era um monólogo.

  2. Coisas que todos fazemos quando a carência está rolando solta! Já vi este filme.
    beijo

  3. Anônimo says:

    Carência realmente nos faz cometer algumas "loucurinhas". Depende do ponto de vista..

  4. Anônimo says:

    quero sexo virtual agora na cam

  5. Anônimo says:

    FAÇO SEXO VIRTUAL SEMPRE COM MEU GATO,ELE ESTA LONGE E É UMA MANEIRA QUE ENCONTRAMOS DE FICAR MAIS PRÓXIMOS UM DO OUTRO.
    EU ADOROOOO É UMA DELICIA E SEMPRE CHEGO AO ORGASMO....TUDO DE BOM

  6. Sim! Na falta do outro ao vivo, é melhor do que nada!!! Muito bom, muito prazer!
    beijo

  7. Anônimo says:

    Sim,estou a procura de sexo virtual para,para quem sabe,ter uma valvula de escape .

  8. Como válvula serve muito bem. Pode-se deixar escapar o que for necessário. Depois, deixa escorrer bem e voilà!

Leave a Reply

Prazer em conhecer!