Sister Act – Mudança de Hábito, Direção: Emile Ardolino - Whoopi Goldberg, Maggie Smith, Kathy Najimy, Wendy Makkena, Mary Wickes, Harvey Keitel.

A Reforma da Natureza - “Emília pretendia fazer a sua "reforma da natureza". Com a ajuda de Rã, sua amiga do Rio de Janeiro ela criou o passarinho-ninho; o livro comestível; o porco magro (testado no Rabicó); o sei-lá-que-animal-é-esse (testado no Quindim); o bule que apita; usaram as forças centrífugas e centrípetas para manipular a cadeira de balanço de Dona Benta e a cama de Narizinho; colocaram as abóboras na jabuticabeira e as jabuticabas no pé de abóbora; o pernilongo cantor; a gaiola de cabelo; as pulgas moles e paradas no meio do ar; moscas sem asas; a reforma na vaca mocha; reforma na personalidade das borboletas azuis.” Fonte: Wikipédia.

Sempre encontramos pessoas que querem fazer reformas. Eu sou uma delas. 
Existe tanta coisa para consertar, de qualquer natureza. O problema são as pessoas querendo reformar você. Não no sentido de ajudar de verdade, de questionar racionalmente, de realmente te dar um toque construtivo.

As pessoas ficam te dando alfinetadas, não te permitem concluir uma ideia ou opinião, distorcem o que você está tentando dizer etc. 
O pior de tudo é quando, estas pessoas, dizem o que querem, mas não te dão direito de resposta! Se você tentar falar, elas, imediatamente, te interrompem e deixam de te olhar nos olhos! Cada palavra, que você ousar pronunciar, utilizada para determinar uma sentença final, sobre você! Geralmente, uma definição ligada aos valores morais... 
O pior é que elas estão cegas pela nuvem da arrogância. 
Dependendo da hora e lugar, melhor não comprar a briga. Não vale o stress e nem é apropriado.

grumpy old men fence standoff / the great Ice war


A atitude mais sensata é deixar pra lá, porque quem não tem telhado de vidro que atire a primeira pedra. Sobretudo, se a pessoa que está te alfinetando/consertando for uma pessoa querida e próxima. 
Estas pessoas, nós devemos perdoar porque, um dia, vamos precisar do perdão delas.
Nem sempre é inteligente e sensato termos razão, nas discussões. O que importa é a troca de idéias, o respeito pelo outro e a cabeça aberta para o aprendizado. 
Se você se esgoela ou fala mansinho, mas fecha os ouvidos, estará perdendo, no final das contas. Se Deus nos deu uma boca e dois ouvidos, vamos ouvir mais? 
Conhecer os diferentes pontos de vista pode ser uma experiência enriquecedora!

Outras pessoas, travestidas de paladinos da justiça, estão tentando fazer a identificação do certo/errado nacional, mas não olham o próprio rabo. 
Sentados no trono da incoerência, apontam o comportamento inadequado dos outros. 
O roto falando do esfarrapado, isto parece até uma piada, sem graça. No fundo, estão precisando rever seus conceitos. Mas, as pessoas que gostam de brincar não podem esquecer que para tudo existe um timing. O que acontece ao redor deve ser levado em conta. 
O contexto é importantíssimo, senão, vira uma piada horrível e infame!

Eu também faço isto... Tentando dar uma alfinetada ou uma aparada na “veste” de alguém. Como se estivesse usando uma caixinha de costura para reformá-la. Mas, quando entendi e analisei, enxerguei que eu tinha uma dificuldade com ela. E, principalmente, um problema meu, muito mal resolvido! 
Infelizmente, em certas ocasiões, caímos nesta armadilha. 
Sou aquela que dá uma perna pra não entrar numa briga, mas me atiro de corpo e alma depois que eu entrei. Só que, a briga, tem que valer a pena!

Podemos lançar mão da caixinha de costura para tentar reformar o que já está ultrapassado ou com cheiro de mofo, para adequar nossas roupas ao mundo atual.  Como uma saia, fora de moda, que pode ser reciclada e modernizada. Nem sempre isto é possível. 
Têm gente que prefere se vestir assim, que não abre mão da calça puída ou do vestido que nem lhe cabe mais.
Algumas pessoas não abrem mão da vitória (?!) no final de um embate verbal. Então, se a situação estiver beirando o absurdo, melhor bater em retirada.
Saída pela esquerda ou direita! Tanto faz.


Certa vez, me meti numa situação hilária, que a princípio me irritou. Quase comprei a briga, mas, depois, ri da situação que parecia uma comédia.
Era no estado de Goiás, uma pequena cidade, à beira da estrada. Eu estava num grupo de pessoas conversando sobre banalidades. Então, começamos a falar do Natal. Eu disse que adoro esta festa, a árvore, os enfeites, Papai Noel, os presentes e, principalmente, a comida e a bebida. O peru da minha mão é de arrasar, de comer bem sentada porque é mais cômodo. 
Depois, eu falei do trenó e das renas, da fantasia legal que encanta as crianças. Aí entornou o caldo, porque um indivíduo, do alto de sua ignorância (no sentido figurado), me interrompeu e disse:
- Você está confundindo as coisas. O nome daquele carrinho é Rena??!!

Eu respondi:  - Tá louco? Rena é o animal e trenó é o carrinho! A rena é um animal originário do extremo norte, de lugares com muita neve!  A terra do Papail Noel, com as renas e o trenó que aparecem nos filmes!


Imagem: Google

Depois de discutir por uns minutos, eu me virei pra todos os lados e somente encontrei muitos olhos cheios de dúvidas. Num lugar sem internet nem coisa parecida e eu lá discutindo o absurdo. 
Então, senti vontade de rir de mim mesma, desisti da briga e fui procurar algo melhor pra fazer.

Nem sempre é importante ter razão, ás vezes, é melhor manter a racionalidade. E, principalmente, é necessário mudar de hábito. Largar de vez os cacoetes e manias emburrecedoras. São hábitos antigos que podemos modificar, se quisermos viver felizes! "Não quero ter razão, quero é ser feliz"- Ferreira Gullar 

Old Habits Die Hard – Mick Jagger

6 Responses so far.

  1. Querida, o que eu posso te dizer? Bem, já fui meio dono da verdade. Gostava de opinar, sobretudo, quando imaginava que dominava o assunto, mas hoje, talvez pela idade, prefiro ouvir e opinar somente em último caso. Ótima essa frase do Ferreira Gular.
    Um abração. Tenhas um lindo e maravilhoso ano. Ah, que bom que tu voltaste a postar!

  2. Oi, Dilmar!
    Eu tenho vários hábitos pra mudar... É complicado mas não é impossível!
    voltei a postar, graças a Deus.
    beijo

  3. Oi querida,
    Estava com muita saudade de vc!!! Por onde tem andado nesta imensa blogolândia?
    Eu chego a ser uma pessoa irritante, algumas pessoas me têm como fria, pois se eu não gosto de algo, simplesmente me calo, mas me calo mesmo! Sou capaz de levantar no meio de uma discussão e ir embora, ou de me calar do outro lado da linha do telefone e deixar a pessoa falando sozinha.
    Eu sei que tenho umas atitudes não muito simpáticas, mas tem gente que não merece o meu desgaste. Por ex., este cara das renas ia ficar abismado, pois eu iria dizer que o meu nível de discussão pede um pouquinho mais de inteligência e iria me calar. No máximo eu perguntaria como se chamam os bichinhos que puxam a sua rena.
    Passei por terapia d+ e gastei d+ com elas para resolver os meus problemas e não os dos outros...
    :)))
    Posso fazer um pedido? Estou iniciando no facebook e se você tb estiver do face, gostaria que me adicionasse. Meu link é:
    http://www.facebook.com/profile.php?id=100003319598483
    Beijos 1000 e uma 4ª-feira maravilhosa para vc.

    www.gosto-disto.com

  4. Oi, Betty!
    Eu também estava com saudade! Tive alguns contratempos, stress etc. Agora estou de volta à blogolândia.
    Pois é, melhor deixar a pessoa falando com as paredes. Minha amiga falou: - Deixar o outro pensando que sou idiota? Eu, respondo: - Vc sabe que não é idiota! Isto é o que importa.
    Ainda não tenho facebook... Mas, assim que eu fizer vou te adicionar, com certeza.
    beijo

  5. Olá! Vim aqui agradecer sua visita ao nosso blog!

    Oh happy day!!! Amoooo!!!!

    Some não!

    abraços

    Renata

  6. Oi, tudo bom?
    Bem legal teu blog. Layout bem clean, textos/fotos bem objetivos. Gostei. E vou recomendar pras minhas amigas de Cercadinho, ok? Pra que elas venham aqui visitar teu blog.
    Não sabe o que é O Cercadinho?
    Nos visita lá então. Acho que pode rolar uma interação bem legal.
    www.o-cercadinho.blogspot.com
    Beijos,
    Wanderlei

Leave a Reply

Prazer em conhecer!