“Ser ou não ser, eis a questão”, da peça Hamlet, de William Shakespeare.

Mel Gibson, no filme Hamlet (1990).
Este texto, do Shakespeare, retrata de forma exata uma situação conhecida dos seres humanos. Os conflitos internos e os questionamentos, que podem ser uma das coisas mais solitárias do mundo. Mas, também, é a única forma de crescer. E, se você quiser, nem precisa ser tão solitário.
A dor amarga, o sofrimento que te consome, a dúvida cruel, o medo paralisante e a solidão que arrasa. Dependendo do que nos assola, o grau de importância pode variar, conforme o sentido de responsabilidade de cada um. Mas, depois que sobrevivemos, a sensação pode ser maravilhosa. E, a força que isto nos traz é renovadora.

Algumas vezes, é necessário o recolhimento total para enfrentar o conflito. Contudo, outras vezes, podemos dividir o peso. Conversando, buscando informações e ajuda, para clarear as coisas. Então, o horizonte se expande, o dia nasce mais bonito e ficamos mais livres. 


É preciso lembrar que nem sempre as respostas são definitivas. Não podemos ficar presos as nossas escolhas, carregando o peso de uma decisão, para sempre. Permitir-se isto, alivia muito.

Não é por acaso que Shakespeare é chamado de gênio. Cada vez que passo por uma situação destas, lembro deste texto. Que sempre se encaixa independente dos motivos.


video
Lágrimas na chuva, cena do filme Blade Runner.

E existe aquele momento, quando dizemos: - Eu nunca faria desta forma. - Eu não, de jeito nenhum!  È bom lembrar que a língua é o chicote do cu. Aquilo que a boca fala, o cu paga!

Nota: Mel Gibson como pessoa é um ótimo ator.

6 Responses so far.

  1. Pois é amiga, não somos tão previsíveis nem tão seguros quanto nossas atitudes para, realmente, afirmarmos: "Tenho Certeza"
    Um abraço. Tenha boa noite.

  2. Eu sempre achei que uma das maiores maravilhas de ser humano é que podemos mudar de idéia, sempre que for necessário, a qualquer momento.

    beijo

  3. Essa musica que vc postou do Milton Nascimento é mto bonita

  4. as músicas do Bituca são maravilhosas!
    beijo

  5. Anônimo says:

    Como é bom te ler...
    rever cenas de filmes,que tocam...
    tanto se muda que se virmos várias vezes a mesma cena,no final
    estaremos enxergando de outra forma.
    Graças à Deus somos mutáveis,senão...porque vir e não aprender?
    bjs,saudades.
    Polaca.

  6. Saudades minha mina querida!
    É verdade, se não viemos pra aprender, crescer, mudar e passar adiante o que aprendemos, não devemos estar aqui.
    beijo grande

Leave a Reply

Prazer em conhecer!